Elas dizem que objetivo principal não é estética, mas sim saúde.
Médico alerta que exercícios de grande impacto podem ser prejudiciais.

Exercícios físicos são recomendados pelos médicos em qualquer estágio da vida. Cada vez mais, as mulheres buscam continuar as atividades mesmo durante a gravidez. Além de saúde e qualidade de vida, dessa forma elas dizem que após o parto fica mais fácil recuperar a antiga forma.

O G1 entrevistou duas grávidas que mantêm os exercícios. Aos 7 meses de gestação, enquanto espera a chegada de Arthur, Francini Pires corre, pedala e nada. Já a personal trainer Mônica Ferreira, aos 4 meses de gravidez, pratica estepe, zumba, corrida, poli pump e golpes de luta na modalide body combat. O médico ginecologista e obstetra Carlos Eduardo Amaral Gennari alerta que os exercícios devem ser feitos de forma moderada.

Francini Pires grávida mogi (Foto: Francini Pires/ arquivo pessoal)

Francini Pires continua a rotina de corridas, mas diz que reduziu intensidade. (Foto: Francini Pires/ arquivo pessoal)

Incansável
Há cinco anos, a professora de pilates Francini Pires começou a praticar corrida e os exercícios foram se tornando mais intensos. Ela também passou a pedalar e fazer aulas de natação. Agora, grávida de sete meses de Arthur, pouca coisa mudou na rotina de treinos. Francini conta que apenas diminuiu a intensidade dos exercícios. “Antes eu pegava pesado no treino. A corrida que eu fazia, agora intercalo com alguns trotes, com a caminhada. A natação e a bicicleta eu continuo, mas sem ficar muito cansada e ofegante.”

Francini Pires grávida mogi (Foto: Maiara Barbosa/ G1)

Francini Pires espera Arthur. (Foto: Maiara Barbosa/ G1)

Francini Pires, grávida de Mogi das Cruzes, nadando (Foto: Francini Pires/ arquivo pessoal)

Francini manteve também as aulas de natação. (Foto: Francini Pires/Arquivo Pessoal)

Durante a aula de pilates, a professora demonstra alguns exercícios para as alunas, mas a barriga já não permite todos os movimentos. “Tenho alguns alunos que acham que eu sou louca”, comenta, entre risos.

Grávida do segundo filho, Francini diz que sente diferenças no seu corpo em relação à primeira gestação, quando ainda não tinha uma rotina regrada de treinos. “Na minha primeira gravidez eu só fazia caminhada. Depois desse intervalo, eu comecei com outros esportes e isso me ajudou muito: eu não sinto muitas dores e sinto menos sono. Claro que a gente cansa, mas é um cansaço normal”, comenta.

A professora pretende continuar treinando até o bebê nascer e já pensa em quando poderá retornar as atividades depois do parto. “Eu espero voltar logo porque eu gosto de treinar. Não é por estética, é porque isso me faz bem, tanto para a minha saúde física quanto mental”, ressalta.

A próxima corrida que deve participar já tem data marcada. “Em outubro eu vou participar de uma corrida em Bertioga até Maresias e, em dezembro, eu volto a nadar para uma travessia de 2 mil metros no mar.”

Academia até o parto
Mônica Ferreira também resolveu não ficar longe da academia enquanto aguarda a chegada do seu segundo filho. Personal trainer há dez anos, ela trabalha todos os dias em quatro lugares diferentes e pretende continuar assim até o nono mês. Além das aulas de estepe, zumba, corrida, poli pump, aos quatro meses de gestação Mônica ainda pratica golpes de luta na modalide de body combat. “Fora isso, eu ainda estou querendo voltar com a musculação. Os exercícios me ajudaram na primeira gravidez. Assim eu espero recuperar minha forma mais rápido depois da gestação. Além da questão estética, melhora a circulação”, comenta.

Por ter completado os três primeiros meses de gestação, que exigem mais cuidados, recentemente, Mônica está voltando aos poucos aos exercícios de impacto. “O médico me orientou a não fazer nenhum exercício que eu tenha que pular ou fazer agachamento. Nem mesmo corrida eu podia.”

Mônica Ferreira professora de academia (Foto: Mônica Ferreira/ arquivo pessoal)

Mônica Ferreira é professora em academia de Mogi. (Foto: Mônica Ferreira/Arquivo Pessoal)

Apesar de ter sentido mais enjoos na segunda gestação, Mônica conta que não pretende parar tão cedo com os exercícios. “Se Deus quiser, eu continuo trabalhando. Na minha primeira gestação eu trabalhei até dez dias antes do parto. Os exercícios estão me ajudando a ter mais disposição. Uma pessoa que não está acostumada com a rotina, com certeza, sente mais cansaço”.

Saúde
Para o médico ginecologista e obstetra Carlos Eduardo Amaral Gennari, os exercícios devem ser feitos de forma moderada. “O exercício físico é ótimo para todas as mulheres e só vai ajudar as grávidas. O que não pode é pegar pesado, ao ponto de sentir falta de ar e cansaço. Isso pode diminuir o fluxo sanguíneo e corre o risco de machucar a criança. O aumento da temperatura do corpo durante a atividade física pode provocar má formação do feto”, esclarece.

Gennari elenca a hidroginástica, a caminhada, o ioga e o pilates como exercícios benéficos para a gestante. Mas também alerta quais exercícios não devem ser praticados. “Zumba e corrida não é benéfico para a criança porque são exercícios de grande impacto.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat